Pesquisar este blog

segunda-feira, 11 de junho de 2012

ACORDA BRASIL - Parte 3

BOCA DE URNA REMUNERADA

A boca de urna é organizada pelos partidos políticos ou pelos candidatos a cargos proporcionais mais abastados financeiramente. É a forma mais aberta e dispendiosa de se comprar votos. O candidato monta uma equipe de cabos eleitorais encarregados de arregimentar eleitores simpatizantes de sua campanha. Cada um preenche um cadastro completo, informando inclusive o número do título de eleitor, a seção onde votam e quantos votos podem conseguir no seu bairro ou na sua comunidade, para permitir o mapeamento dos votos e comprovar a sua fidelidade, pelo efetivo exercício do voto.
Os eleitores convidados para a boca de urna já passam a integrar a equipe de trabalho do candidato, recebendo remuneração semanal para participar das atividades de propaganda e assegurar a presença nos comícios organizados pelo partido ou coligação.
No dia da eleição, cada boca de urna recebe uma remuneração adicional entre R$ 20,00 e R$ 50,00 (vinte e cinqüenta reais) e precisa vestir uma camiseta do candidato ou uma roupa da cor do seu partido, além de distribuir material publicitário e pedir votos a todos os conhecidos que encontrar pela frente.
Essa estratégia eleitoral revela-se um verdadeiro emprego temporário, cujo período de prestação de serviços equivale ao período eleitoral. Além disso, permite a compra de votos em larga escala, disfarçada de boca de urna para fins publicitários, sendo que todos os participantes foram cooptados em troca de uma remuneração semanal em dinheiro e da promessa de um emprego ou de outro benefício futuro, caso confirmada a vitória do seu candidato.
A boca de urna remunerada é um caso exemplar de abuso de poder econômico, já que o único limite é a condição financeira do candidato ou do seu partido político, de forma a complementar os votos necessários para assegurar a vitória a todo custo.
Estima-se que um parlamentar que precise de 20.000 votos para se eleger deputado estadual, por exemplo, deve contratar cerca de cinco mil bocas de urna para assegurar sua permanência na disputa eleitoral, sob pena de ser ultrapassado por seus concorrentes no dia do pleito.
(Por: - Analista Judiciário da Justiça Eleitoral)

Nenhum comentário:

Postar um comentário